in

Crítica – A Marca do Demônio: Não assusta e apenas se sustenta em clichês

Nova produção da Netflix carrega em excesso o clichê com uma história nada assustadora com personagens piores ainda 

O gênero de possessão demoníaca está presente no mercado do cinema a vários anos, sempre nos trazendo algumas perolas, sejam elas ótimas ou extremamente maçantes e cansativas. Temos um dos maiores filmes de terror de todos os tempos ” O Exorcista” que traz além da essência pura do terror envolvido uma relação de protagonistas que nos faz ficar angustiados com todas as situações que vão ocorrendo. Fazendo com que o longa em si, que já tem uma tensão fortíssima desde seu começo se torne um elemento de narrativa que faz com que o espectador fique mais centrado na trama e assim fique apavorado.

Com o passar dos anos inúmeras produções desse nível chegaram, algumas surpreendentes como ” O exorcismo de Emily Rose” e outras trágicas como é o caso dessa nova produção lançada pela Netflix, o filme espanhol ” A marca do demônio” que tem uma trama extremamente previsível do começo ao fim, e atuações tenebrosas de seus protagonistas.

A Marca do Demônio | Cenas de Cinema

A história nos apresenta uma família encabeçada por pai, mãe( que é uma estudiosa a princípio com relação a livros e simbologias antigas) e suas duas filhas. A partir do momento em que as duas adolescentes( Nicolasa Ortíz Monasterio e Arantza Ruiz) resolvem fazer o bom e velho rebeldismo ao ler frases de um livro, onde desde o início estava consciente na mente das duas que se tratava de um necronomicon, ou livro dos mortos,   e mesmo assim as ditas frases são lidas fazendo com que algum espírito vingativo consiga sair e espalhar o caos. Ao mesmo tempo a trama nos mostra dois padres( Eduardo Noriega e Eivaut Rischen) que são convocados para ajudá-las nesse momento.

A Marca do Demônio | Cenas de CinemaA direção de Diego Cohen serve como exemplo para muitos de como não conduzir uma produção de terror, já que o roteiro é auto-explicativo o tempo inteiro e se torna cansativo apesar da pouca duração do longa( cerca de 80 minutos) fazendo com que a solução para todos aqueles problemas já seja deduzida pelo espectador a curto prazo. O que se vê até lá é uma sucessão de sustos fracos,  cenas completamente sem sentido( dá para ver que o orçamento foi muito baixo para a realização) e atuações terríveis do elenco.

A Marca do demônio se torna com tudo isso não apenas mais uma produção do estilo de terror possessão, mas sim um exemplo claro de como não realizar um longa do gênero.

Nota: 2 de 10 

One Comment

Leave a Reply

Deixe uma resposta