in

Crítica Bloodshot – Vale a pena assistir o filme?

Antes de iniciarmos a crítica Bloodshot, acho que será interessante você conhecer brevemente a história do herói. Vamos para uma breve descrição sobre ele.

Qual a origem do Bloodshot?

bloodshot quadrinhos

O personagem apareceu nas revistas em quadrinhos em 1992, mas ganhou sua própria história em 1993 e se tornou um sucesso na Valiant Comics.

Com vários momentos diferentes que tem em sua personalidade, Bloodshot é considerado muito original e chama atenção por ter um conflito entre elas.

Basicamente Bloodshot é um ex-soldado que após sofrer um grave acidente em uma missão, foram injetados nânites em seu sangue. E diante desse cenário, sua memória foi apagada inúmeras vezes e assim o herói sempre esteve em busca de seu passado e das lembranças de sua vida antes de se tornar uma máquina de combate.

Crítica Bloodshot

bloodshot

Inicialmente o filme começa mostrando uma missão de resgate onde o soldado Ray Garrison interpretado por Vin Diesel consegue ter total sucesso em sua missão. No entanto, ele acaba sendo capturado por um vilão que levou a morte para Ray. Mesmo assim, foi possível recuperar o corpo e fazer a experiência com nânites que são pequenos micro robôs que se comportam como se fossem nosso sangue, porém, são capazes de trabalhar para se reconstruírem rapidamente.

O roteiro de Eric Heisserer (Bird Box) e Jeff Wadlow (Kick Ass 2) pode parecer confuso em alguns momentos. No entanto, isso traz algo interessante para o filme que consegue enganar você que já estava esperando uma história em uma determinada linha e começa agora a correr para outra.

Mas isso não é algo que se destacou no filme. Parece que os diretores quiseram trazer mesmas histórias repetidas vezes, o que isso poderia não parecer errado, uma vez que como mencionamos na origem do herói, ele tem perdas de memórias constantes e busca lembrar do seu passado. Ou seja, tudo isso é visto no filme e faz disso algo importante e respeita a origem do personagem. 

No entanto, a maneira com que isso é contada pode parecer monótona. Sem mistérios e com personagens secundários que praticamente não significam muito para história, o desenrolar da trama continua numa linha temporal que não trouxe nenhuma surpresa do que já estava acontecendo. Esse foi o grande erro no filme, o que estava sendo interessante no começo, se transformou em fracasso.

Os destaques do filme Bloodshot

Com toda certeza os efeitos especias são os maiores destaques do filme. As cenas com ações e muita movimentação de câmeras chamaram muita atenção. Toda a reconstrução do personagem nos momentos em que ele era ferido, prenderam nossa atenção nos detalhes entregues. Efeitos bons que não devem ser questionados quando comparamos até com os famosos filmes de heróis da Marvel ou DC.

O elenco apesar de não parecer tão envolvido na trama, cumpriu o seu trabalho no que estava sendo desenvolvido para o roteiro. Apesar disso, não tivemos a construção de um super vilão que deveria ser combatido pelo nosso herói super tecnológico. Ficamos presos a criação Bloodshot e seu criador interpretado por Guy Pearce, que facilmente pode controlar os robôs que circulam pelo seu corpo, sendo assim, ficamos pensando se poderia existir uma saída para o herói se tornar livre para buscar o seu passado. Essa saída é mostrada no filme, entretanto nada de tão misterioso que possa fazer você ser impactado pelo drama que o herói esta passando. Ou seja, não sentimos apego pela história do passado ou do futuro que Bloodshot devera enfrentar.

Em conclusão, o filme entrega o que parece ser mais um titulo que não teremos uma sequência, mas volto a dizer que todas as cenas de ação e efeitos especiais são ótimas. Além disso, você vai te ruma experiencia interessante se for ver o filme nos cinemas, mas não acredito que veremos uma sequência em breve do nosso herói Bloodshot.

One Comment

Leave a Reply

Deixe uma resposta