in , , ,

LEI ANTI-ABORTO | CAUSANDO DESEMPREGO

Segundo CEO da Disney, futuras produções podem deixar de serem produzidas, principalmente por ter muitas mulheres que se sentiram ofendidas por nova lei aprovada.

Bob Iger, CEO da Disney disse em entrevista à Reuters que as produções do estúdio podem deixar o estado da Geórgia. No qual se a lei anti-aborto aprovada entrar em vigor. Segundo a declaração do executivo. Segue uma série de protestos de Hollywood contra a ação do governador Bill Kemp. Questionado se o estúdio continuará realizando produções no território, Iger disse:

“Acho difícil.  Acho que muitas pessoas que trabalham para nós não vão querer trabalhar lá. Mas, nós teremos que respeitar seus desejos neste quesito. No momento estamos apenas assistindo com cuidado”.

Se a lei entrar em vigor, Iger disse não enxergar como seria prático para eles continuar filmando lá.

Segundo as informações, a lei aprovada no estado batizada de heartbeat law, proíbe mulheres de realizarem abortos após seis semanas de gestação. Período em que já é possível ouvir os batimentos cardíacos. No entanto, é considerado muito curto. Porém, muitas mulheres não se dão conta de estarem gestantes em um período tão pequeno.

A opnião de Iger segue a linha do pronunciamento do chefe de conteúdo da Netflix. Ted Sarandos, que também disse que o estúdio reavaliará as produções no estado após a lei entrar em vigor:

“Nós temos muitas mulheres trabalhando em produções na Geórgia, cujos direitos, junto com milhões de outras, serão severamente restringidos por esta lei”. 

Diversas estrelas de cinema estão se posicionando por meio das redes sociais e cartas para tentar abolir a lei recém aprovada. Ainda existem muitas pessoas a se posicionar diante dessa lei. Tão cheia de conflitos e demasiado estrondo nas mídias. Existe a possibilidade de cancelarem a lei. Bem como a mesma lei pode entrar em vigor como qualquer outra já criada no país.

Enfim, se você quer saber mais sobre nosso mundo nerd, confira mais notícias.

Deixe uma resposta